top of page

ATELIÊ

isaMG_4332caramel.jpg

Cada joia tem uma história

clique na foto e descubra qual é a sua

ACEAPP - Associação Cultural e Ecológica dos Artesãos em Prata de Pirenópolis

Casa de Marisa valoriza a produção artesanal e o talento de gerações de ourives de Pirenópolis.

DO BARRO NASCEM AS JOIAS!

Idéia trabalhada há 25 anos e agora presente em nossa loja virtual. As peças da M&E são feitas uma a uma,  modeladas à mão em argila e esmaltadas em alta temperatura. Estruturadas em prata 950 podem ainda receber gemas naturais e outros materiais orgânicos para completar seu desenho exclusivo.

igIMG_2382baixa.jpg

O QUE É IG?

Os ourives de Pirenópolis foram agraciados com selo de Indicação Geográfica da Prata.

anelIMG_2261site.jpg

JOIAS CERTIFICADAS

As joias artesanais da M&E conseguiram a certificação de Indicação Geográfica por sua qualidade e perfeição.


CASA DE MARISA

atelier

Casarão colonial de quase 200 anos, com sua planta original preservada, abriga o atelier da artista.

saiba mais
piri_ventiladorDSC03430.jpg

PIRENÓPOLIS

A CAPITAL DA PRATA

SELOSwhite_edited.png
51251622_2229830423895757_62587195531114

ACEAPP

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ECOLÓGICA DOS ARTESÃOS EM PRATA DE PIRENÓPOLIS

Conheça quem faz de Pirenópolis a Capital da Prata

52338469_445582579315017_208595931522662
casademarisa_ceramica20200609_12.jpg

M&E Atelier Cerâmica

paixão primitiva

NOSSA PRATA É RECICLADA!

SUSTENTABILIDADE E MEIO AMBIENTE

O Brasil não possui minas de extração de prata; nossas joias são produzidas de forma sustentável utilizando prata reciclada retirada de sucata eletrônica, de radiografias e de resíduos das oficinas de produção de joias em prata.

EXPOSIÇÃO PERMANENTE NA CASA DE MARISA

“Safia, a Poesia do Barro e a Sabedoria do Ser”

Nascida em Pirenópolis, no dia 08 de junho de 1929, Celestina Teixeira Siqueira, também conhecida como Safia, tinha sete anos de idade quando fez suas primeiras criações utilizando o barro, em forma de potes, bichos e bonecas.

A artesã utiliza da técnica da cerâmica para explorar as percepções contemporâneas acerca de tradições da cidade de Pirenópolis, além de fazer esculturas de namorados, mulheres e homens. A artista vivencia a experiência do cotidiano com o uso do barro, propondo um olhar além.