A HISTÓRIA DE PIRENÓPOLIS

Cidade histórica no coração do Brasil Central, Pirenópolis cativa o visitante com seu patrimônio arquitetônico, cultural, natural e suas joias em prata. 

 

​A história e a tradição de Pirenópolis é relevante para o Estado de Goiás e para o Brasil.

Às margens do Rio das Almas, o arraial Minas de Nossa Senhora do Rosário de Meia Ponte foi fundado por garimpeiros que aqui vieram em busca de ouro. A extração de ouro foi intensa e breve. O arraial cresceu e foi promovido a vila e, mais tarde, cidade denominada Pirenópolis em razão da proximidade com a Serra dos Pireneus. A cidade viveu depois do Ciclo do Ouro um período de economia agrícola e de intenso comércio tropeiro entre as regiões Centro-Oeste e Sudeste nos séculos XVIII e XIX.

 

Hoje, Pirenópolis é famosa pelo turismo histórico e de aventura com suas inúmeras cachoeiras, por sua cultura e festas religiosas e populares, pelo estilo próprio de sua tradição joalheira em prata e pela extração do quartzitos (a “pedra de Pirenópolis”, tradicionalmente usada na urbanização e construção civil).

 

​Tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 1989, Pirenópolis conserva em seu centro histórico igrejas, teatro, cinema e seus lindos casarões coloniais, ainda habitados por descendentes de famílias fundadoras da cidade ou que se tornaram espaços para pequenas lojas de artesanato e restaurantes de comida regional e internacional.

Arte Joalheira em Pirenópolis

indicação Geográfica

CAPITAL DA PRATA 

 

As joias artesanais de Pirenópolis conquistaram a Indicação Geográfica de Procedência em 2019. 

A IG das suas joias foi concedida pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) após rigoroso processo de análise da história, da qualidade e originalidade da arte joalheira da cidade, que aqui floresceu nos anos 1980. 

Nossa história tem início com a chegada de um grupo de pessoas de várias nacionalidades que aqui vieram para fundar uma comunidade alternativa em terras de cerrado no povoado de Bom Jesus, que se denominava Cooperativa Agroartesanal Terra Nostra e era composta por muitos artesãos que aprenderam o ofício de ourivesaria em viagens a países de tradição joalheira em prata como a Índia, Turquia e repassaram esse saber a jovens moradores da cidade em seus ateliers, transformando o perfil socioeconômico e cultural de Pirenópolis.

 

Hoje, a cidade possui 12 lojas que comercializam joias em prata e os antigos aprendizes tornaram-se mestres no ofício com produção própria. Atualmente, o número de artesãos joalheiros é aproximadamente de cento e cinquenta profissionais. Com produção em estilo original utilizando prata de lei, de teor entre 925 a 1000, a cidade passou a ser conhecida como Capital da Prata do Centro-Oeste.

SELOSpreto.png